Pular para o conteúdo

Baobá

E ela me disse que eu ficava à sombra, ou coisa parecida, eu disse que não, que eu queria ter patas de tigre e salto nos pés, ao mesmo tempo, que eu queria mais. Ela disse que não era o suficiente, que eu deveria nem mais nem menos botar pra fora um elefante, uma coisa logo imensa, porque assim não haveria árvores que me cobrissem. Mandou que eu parasse de brincar com bichos pequenos, que eu desse o meu gato e meu mini-cacto e falasse alto e com as mãos pra cima e coisas assim que não se usam, mas servem. Eu disse que sim, que era pra já, que ela estava mais é certa, que eu ia mudar, do dia pra noite, pro lado que ela mandasse, por cima de mim, à jato, que muito obrigada, que ela era boa demais e tudo isso que se diz a quem se preocupa. E logo depois, o quanto antes, porque ouvido não é penico nem isso nem aquilo, saí à francesa, como quem não quer nada e precisa muito.

Anúncios
Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s