Pular para o conteúdo

Paredes

As paredes seriam estacas no meu peito não fosse eu quem sou.
As pétalas, pétálas não fosse o que desejo ser.
 

 

Os alvos, os mesmos, caso eu não abrisse a boca.
Estou para enfiar o dedo na cara sem medo da falta de cara do Outro.
Para dizer não.
Para fazer estrondo.
Nascida não posso morrer. Que me aguentem. Não vou ceder.
Ovo, não quebro fácil.
Choco-me antes e lanço-me além, porque assim que é.
Não fico calada, estrelada e frita.
É pouco.
E de pouco eu já estou cheia.

Anúncios
Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s